4 recursos novos do CDI 1.1

Já vimos aqui no blog que o CDI é a especificação do Java EE 6 que cuida da parte de injeção de dependências de seu projeto. Em pouco tempo essa especificação se tornou extremamente importante e popular, e agora em sua versão 1.1 foram incluidas uma serie de novas funcionalidades e mudanças que podem ser muito úteis pra você que já adotou o CDI em um de seus projetos, ou ainda pretende adotar.

1. Ativação Global de Interceptors, Decorators e Alternatives

Uma das grandes mudanças que entraram na especificação do CDI 1.1 é a ativação global de Interceptors, Decorators e Alternatives. No CDI 1.0 esses elementos eram ativos apenas em um bean arquive, ou seja, se sua aplicação continha um jar (uma library qualquer) com interceptors, esses interceptors seriam vistos apenas naquele jar. Isso aconteceu porque em um primeiro momento não foi planejado uma boa solução pra ordenar globalmente esses elementos em toda a aplicação. Agora, além dessa ativação global, é possivel definir a prioridade em que seus interceptors, decorators e alternatives serão executados (no caso dos alternatives apenas o com maior prioridade será escolhido pelo container).

Para definir a prioridade destes elementos basta anotá-los com @Priority (javax.annotations) e definir um valor que será considerado para ordenação. Por exemplo, um interceptor que deve ser executado logo após os insterceptors de suas libraries, pode fazer algo como:

@Priority(Interceptor.Priority.LIBRARY_BEFORE)
@Interceptor
public class MeuInterceptor { ... }

Outros possiveis valores são: PLATFORM_BEFOR = 0, LIBRARY_BEFORE = 1000, APPLICATION = 2000, LIBRARY_AFTER = 3000, PLATFORM_AFTER = 4000. Interceptors definidos na aplicação devem estar entre o intervalor de APPLICATION e LIBRARY_AFTER, e caso eu queira ordena-los posso incrementar um valor que considerar adequado em sua prioridade, algo como:

@Priority(Interceptor.Priority.APPLICATION + 50)
@Interceptor
public class MeuInterceptor { ... }

Você também pode ativar seus interceptors, decorators e alternatives explicitamente pelo arquivo beans.xml, nesse caso a prioridade dos elementos será a ordem em que forem escritos, por exemplo:

<beans xmlns="...">

   <interceptors>
      <class>br.com.caelum.PrimeiroInterceptor</class>
      <class>br.com.caelum.SegundoInterceptor</class>
   </interceptors>

</beans>

2. Filtros de Exclusão

Outra importante funcionalidade agregada na especificação do CDI 1.1 foram os filtros de exclusão de classes para serem ignoradas pelo container, ou seja, classes que não serão escaneadas e vistas como managed beans pelo CDI. Dessa forma posso configurar em meu beans.xml a exclusão de classes, como por exemplo o caso de algumas classes úteis do projeto:

<beans ... >
   <scan>
      <!-- posso excluir apenas a classe: -->
      <exclude name="br.com.caelum.util.calendarUtil.java"/>
      <!-- ou posso excluir o pacote util completo: -->
      <exclude name="br.com.caelum.util.*"/>
   </scan>
</beans>

Além dessa facilidade, ainda posso condicionar quando quero excluir o escaneamento das classes. Por exemplo, para excluir o pacote de interceptors inteiro caso exista a propriedade do sistema “exclude-interceptors” definida:

<exclude name="br.com.caelum.interceptors.**">
    <if-system-property name="exclude-interceptors"/>
</exclude>

Ou ainda definir se quero ou não excluir um pacote, subpacotes ou classes de acordo com a disponibilidade de algum outro bean:

<exclude name="br.com.caelum.jsf.**">
    <if-class-not-available name="javax.faces.context.FacesContext"/>
</exclude>

Outra forma particularmente fácil de resolver o problema é com o uso da anotação @Vetoed. A partir do momento em que uma classe esteja anotada com @Vetoed, ela será ignorada pelo container do CDI da mesma forma que se tivesse declarada na tag <exclude> do arquivo beans.xml.

3. Novo Evento AfterTypeDiscovery

O evento AfterTypeDiscovery é disparado logo após a descoberta de classes do container. Observar este evento te possibilita adicionar ou remover classes da lista de interceptors, decorators ou alternatives de sua aplicação. Você pode inclusive reordenar estas listas, pois o container só define a ordenação desses elementos após este evento ter acontecido.

Interface javax.enterprise.inject.spi.AfterTypeDiscovery:

public interface AfterTypeDiscovery {
    public List<Class<?>> getAlternatives();
    public List<Class<?>> getInterceptors();
    public List<Class<?>> getDecorators();
    public void addAnnotatedType(AnnotatedType<?> type, String id);
}

Para adicionar um interceptor manualmente na lista de interceptors descobertos em minha aplicação, por exemplo, posso criar uma classe bem simples que observa o evento AfterTypeDiscovery, buscar a lista de todos os interceptors e adicioná-lo na posição que eu precisar. O mesmo pode ser feito com decorators e alternatives.

public void observer(@Observes AfterTypeDiscovery evento ){
         // adiciona o meu interceptor como terceiro a ser executado
         evento.getInterceptors().add(2, MeuInterceptor.class);
}

Quando invoco o método .getInterceptors(), a lista virá ordenada de acordo com o peso de @Priority dos elementos, ou pela ordem em que foram registrados no arquivo beans.xml.

4. Trabalhando com uma @TransientReference

Imagine classes como a ConnectionFactory que você precisa injetar para criação da sua conexão, mas pretende fazer isso uma unica vez, ou seja, não precisa guardar uma referência em memória desse objeto. Agora isso é possível com o uso da anotação @TransientReference! Por exemplo:

@SessionScoped
public class ConnectionManager {

          private final Connection connection;

          public ConnectionManager(@Inject
                @TransientReference  ConnectionFactory cf) {
                this.connection  = cf.getConnnection();
         }

         public Connection getConnection() {
                return connection;
         }
}

Se você gostou do CDI, possivelmente irá se interessar pelo nosso curso de Laboratório Web com JSF e CDI, e também pela documentação de sua especificação.

Gostou das novidades do CDI? A nova versão do VRaptor utiliza os recursos dessa especificação e possibilita que voce desenvolva para web de maneira ainda mais rápida!

Tags: , , ,

10 Comentários

  1. Roberto Lima 20/08/2013 at 20:44 #

    muito bom! turini, as implementacoes do CDI 1.1 ja sao bem estáveis?

  2. Rodrigo Turini 21/08/2013 at 10:01 #

    Opa Roberto, obrigado! Estamos usando o Weld 2.0 (Reference Implementation) e está sim, não tivemos nenhum problema com esse cara.

  3. Rafael Baptista 23/08/2013 at 17:06 #

    Boa Rodrigo! Rumo a formação avançada Java EE 7…

  4. Marco 28/07/2014 at 22:28 #

    Opa, muito bom o post… Só estou comentando mesmo para reportar o link quebrado em: “A nova versão do VRaptor utiliza”.

    Abraços 😉

  5. Rodrigo Turini 29/07/2014 at 09:32 #

    legal Marco, muito obrigado por avisar! um abraço

  6. Clebio Vieira 02/03/2016 at 17:42 #

    Rodrigo Turini, fiz um teste com e a ordem não leva em consideração a PRIORITY maior.
    Creio que ele faça a priorização depois.

    @Alternative @Priority(Interceptor.Priority.APPLICATION + 1) @RequestScoped
    public class AlternativaA implements Alternativa {
    public String getAlternativa() {
    return “ALternativa A”;
    }
    }
    @Alternative @Priority(Interceptor.Priority.APPLICATION) @RequestScoped
    public class AlternativaB implements Alternativa {
    public String getAlternativa() {
    return “ALternativa B”;
    }
    }

    Ordem apresentada no Loop For:
    ———————–beginning the scanning process———————-
    class com.clebiovieira.balancalegal.alternatives.AlternativaB
    class com.clebiovieira.balancalegal.alternatives.AlternativaA

    Outra coisa que pode ajudar quem olhar sua dicas é que é necessário criar um arquivo chamado:
    “javax.enterprise.inject.spi.Extension” na pasta META-INF/services

    Depois colocar o nome completo da classe neste arquivo para que o container leve em consideração a classe Extension criada.

  7. Rodrigo Turini 02/03/2016 at 20:44 #

    Oi Clebio, tudo bem?

    O log que você está mostrando é do scan das classes, não do registro.
    Tanto que, por ser um alternative, apenas um é registrado.
    Quando você pede a interface Alternativa injetada, qual o CDI devolve? 🙂

Deixe uma resposta