5 dúvidas de quem quer iniciar na carreira de programação

“Como posso me tornar programador?” vem seguido de muitas dúvidas. Afinal, é uma carreira que parece pagar bem, possui muitas vagas em aberto, não exige necessariamente muito estudo formal nem equipamentos caríssimos para praticar. É, uma parte é verdade.

Se você gosta muito de computadores, de smartphones, de fuçar na internet, sempre está nos canais do youtube de curiosidades de ciência e de tecnologia (como o Nerdologia :)), é realmente possível que esse seja um caminho de carreira para você. Vale o aviso: não é fácil, vai levar tempo e muito esforço. Não há solução mágica, apesar de muitas promessas de emprego garantido por aí.

Então vou tentar responder algumas dúvidas que nós da Caelum sempre recebemos dos alunos que querem estudar no nosso curso de Lógica de Programação:

1. O que eu devo estudar?

Você deve focar o seu tempo em aprender a chamada `lógica de programação`. É uma forma de traduzir seu pensamento em uma estrutura que poderá ser escrita utilizando uma linguagem de programação. Você pode fazer os dois ao mesmo tempo, escolhendo uma primeira linguagem para colocar em prática a lógica. Eu recomendo fortemente o JavaScript, não por ser uma linguagem importante no mercado, mas em especial porque você não vai precisar instalar nenhum software ou aplicativo novo no seu computador e já começará a testar praticar.

2. E como posso praticar?

É necessário não apenas aprender comandos e estruturas, mas repeti-las à exaustão. A fluência é uma medida importante na experiência de um programador: o quão confortável ele está em escrever código em uma determinada linguagem? Não gosto muito das comparações com línguas, mas é algo parecido: não adianta você conhecer bem a gramática e o vocabulário da língua alemã se não tem uma velocidade em combinar tudo para que frases saiam em uma velocidade esperada. Para ser um bom programador, é realmente necessário muita repetição e exercício das suas habilidades de lógica, e de conhecimento do ‘vocabulário’ da linguagem.

3. Preciso saber muita matemática?

Não precisa. Se você realmente odeia matemática, poderá encontrar um caminho complicado. Mas para o dia a dia da programação, a matemática necessária é aquela que mais gostávamos quando éramos menores: é lógica, quebra-cabeças, desafios e pegadinhas de raciocínio! Como os do Malba Tahan.

4. Em quanto tempo estarei pronto?

Se você está começando do zero, não está cursando faculdade relacionada e nunca teve nenhuma experiência com tecnologia, é um caminho longo. Seu primeiro curso, seu primeiro livro, vão apenas te mostrar os passos iniciais. A prática é que vai te dar a fluência, como falamos. Um ano depois do seu início é um bom tempo para dizer que você poderá ter reunido as condições de começar a trabalhar com a sua primeira linguagem. Claro que isso vai variar muito de pessoa para pessoa.

5. Como encontrar um primeiro emprego?

Ou mesmo um primeiro estágio? Esse é um grande desafio. Apesar do número enorme de vagas, as empresas costumam desconfiar um pouco de quem não tem formação na área e ao mesmo tempo não tem experiência comprovada. O ideal é encontrar um espaço para que você possa armazenar seus testes e experiências, criando um pequeno portfolio do que você conhece e já sabe fazer, mostrando também sua dedicação. O Codepen.io possibilita que você faça isso para as tecnologias conhecidas como front-end, dê uma olhada nessa e nessa outra coleção de demos. O Github é outro canal essencial.

Eu faço mais uma vez um convite para que você conheça o nosso curso de Lógica de Programação, que é todo em JavaScript, por um motivo que eu já bloguei a respeito.

6 Comentários

  1. paulo 05/12/2016 at 20:19 #

    Ola mas quais as linguagens realmente fazer pois ai pede linguagem x,z,y e w.Ai estuda-se para essas e tem mais pedindo nas vagas

  2. Cristiano Santos 06/12/2016 at 08:36 #

    Ótimas dicas.

  3. Ronnison Reges Vidal 06/12/2016 at 09:56 #

    Devo concordar plenamente com o Senhores., Paulo e Gabriel 🙂
    O processo de aprendizagem de programação é prática exaustiva, uma vez que os conceitos sejam aprendidos, somos somente capazes de internalizar e reproduzir esses conceitos em forma de programação por meio de prática constante. Outro ponto muito importante na minha humilde opinião é que a lógica de programação faz o programador e não a linguagem. As linguagens de programação são meras ferramentas que só podem ser utilizadas na sua expressão máxima quando há um raciocínio lógico e bem defino por trás. Muitas colocações feitas pelos senhores são por mim vivenciados, quando olho meus alunos queixando-se sobre a falta de emprego ou de oportunidades, quando na verdade assim como acontece com várias pessoas, e até mim mesmo, as oportunidades parecem para aqueles que estão preparados e os que se preparam. Então vamos a programação! 🙂

  4. Adriano Almeida 06/12/2016 at 11:35 #

    @paulo, caso queira ir para o lado do Backend, eu costumo recomendar começar por linguagens que tenham uma curva de aprendizado mais suave, como PHP e depois de se sentir confortável, partir aprender para C#, Java e qualquer outra linguagem que acredite que faça a diferença para o que está procurando.

  5. Diego 12/12/2016 at 10:38 #

    Não ter experiência é a pior parte, principalmente quando já concluiu a faculdade e não pode mais arrumar um estágio fica bem complicado.

  6. Celio Daniel 29/12/2016 at 11:20 #

    Sou iniciante nesta área, fiz curso de algoritmo e logica no visualG e Portugol IDE cerca de 1 ano, agora estou estudando logica de programação diretamente no java, meu objectivo é criar aplicativos comerciais (vendas, estoque, contabilidade…), sou contabilista e gostaria de criar meus próprios aplicativos para os meus clientes em que atuo como consultor. Gostaria de saber, qual seria o próximo passo! Uma orientação por favor.

Deixe uma resposta