Como instalar o GIT e novo curso online

Quando iniciamos com desenvolvimento profissional, uma das primeiras perguntas que surge é: “onde os arquivos desse projeto ficarão armazenados?”. É necessário, principalmente quando trabalhamos em conjunto com outros desenvolvedores, que o projeto esteja armazenado em um local acessível a todos os membros da equipe, com as respectivas permissões para que os mesmos sejam alterados, para que novos arquivos sejam criados e que arquivos existentes possam ser modificados e excluídos.

Tendo em vista esse cenário, podemos definir que qualquer computador, numa rede onde todos os membros da equipe tenham acesso, é candidato a “local de armazenamento do projeto”. Mas e se ocorrer algum problema com esse computador?

Então podemos pensar em armazenar os arquivos do projeto em um servidor, com redundância de dispositivos de armazenamento e backups constantes. Uma pasta compartilhada na rede em uma máquina mais segura do que uma estação de trabalho torna-se uma opção melhor. Já podemos chamar esse local de repositório de código?

Apesar dessa segurança adicional, ficamos um pouco restritos quanto a recuperar arquivos excluídos, não temos como desfazer alterações no nosso projeto seletivamente e também não temos informações suficientes sobre o projeto para saber “qual versão desse arquivo eu devo recuperar do backup?”. Podemos criar um histórico (log) textual e adicioná-lo como parte do projeto. Agora perceba que ficamos com um ambiente com requisitos demais para um simples “local de armazenamento de projeto”?

Pensando nesse problema foram criadas ferramentas de controle de versão, e nosso novo curso online apresentará uma das mais utilizadas hoje em dia, o Git, que ainda possui a vantagem de ser distribuído, em relação ao CVS e SVN. O Git é utilizado por muitos projetos de código aberto, podemos citar o kernel do Linux, o Rails e o Hibernate como exemplos. É possível, porém, utilizá-lo para projetos privados com restrições e permissões de acesso.

Uma grande vantagem do Git é a existência de ferramentas comerciais de hospedagem de código na Web. A maior provedora de hospedagem de repositórios Git, abertos ou privados, é o Github. Para projetos aberto, ele é gratuito. A Caelum hospeda seus projetos dentro do github, que por sua vez hospeda toda sua aplicação no cloud. Dessa forma, para você começar a utilizar o git, não é necessário instalar o seu servidor. Vamos então instalar o cliente.

O Git é uma ferramenta baseada em linha de comando, ou seja, realizamos as operações de controle dos arquivos pelo prompt de comando. Se você é adepto de ferramentas gráficas não se preocupe, existem algumas opções para facilitar seu trabalho e plugins para o Eclipse.

Durante o curso de repositórios remotos e Git aprenderemos outros comandos que o Git nos fornece para solucionar diversos problemas desde o trabalho básico de criação de um repositório, commits, branches, conflitos, como trabalhar no repositório sem conexão com a internet, trabalhar em diferentes implementações simultaneamente num mesmo projeto, modificação de um arquivo por mais de uma pessoa simultaneamente no projeto e tratar os conflitos, entre outros.

Download e instalação do Git

A instalação do Git é diferente para cada sistema operacional. A seguir, mostraremos como todo o
processo é feito em cada um deles, para depois iniciarmos com os comandos básicos.

Windows

Você pode acompanhar o processo de instalação do Git no Windows no vídeo acima ou os passos a seguir.

Para instalar o Git, iniciaremos acessando a página http://code.google.com/p/msysgit/ e baixando o instalador do msysgit. O instalador da versão mais recente, no momento, é o Git-1.5.6.1-preview20080701.exe. Uma vez baixado, basta executar o programa e seguir as instruções.

Na primeira tela de boas vindas, apenas clique em Next e, na próxima tela, indique o diretório onde deseja instalar o Git em seu computador.

Em seguida, indique quais utilitários serão instalados junto do Git. Marque todas as opções, exceto git-cheetah shell extension. A seguir, defina o nome do menu do Git para o menu Iniciar do Windows, podendo deixar o valor padrão.

O msysgit instala por padrão em seu computador um programa próprio chamado Git Bash, onde é possível manipular os repositórios de arquivos que trabalharemos no futuro. Caso você prefira, é possível usar o próprio prompt do Windows. Basta na próxima janela marcar a opção Run Git from the Windows Command Prompt, como indicado na imagem a seguir:

Na janela a seguir, indique que queremos que as quebras de linha sejam consideradas da mesma maneira, independente do sistema operacional trabalhado. Para isso, marque a primeira opção:

Nesse instante, a cópia dos arquivos será feita para o computador, e em seguida a mensagem de que a instalação foi finalizada aparecerá.

MacOS

Você pode acompanhar o processo de instalação do Git no Mac OS/X no vídeo acima ou os passos a seguir.

Para instalar o Git no Mac OS X (Snow Leopard ou superior), há um instalador pronto, basta baixá-lo em http://code.google.com/p/git-osx-installer/downloads/list?can=3. Na listagem, selecione o arquivo git-1.7.7.3-intel-universal-snow-leopard.dmg.

Após baixá-lo clique duas vezes para ter acesso ao pacote de instalação. Agora é só clicar duas vezes no arquivo .pkg de dentro do .dmg para iniciar o processo de instalação.

Na tela seguinte, selecione a opção “Instalar para todos os usuários desse computador” para continuar. Depois é só prosseguir com a instalação padrão.

Para testar a instalação, abra a aplicação “Terminal” e digite o comando “git”. A saída deve ser similar à imagem:

Opcionalmente, é possível configurar o Terminal para completar os comandos do Git ao pressionarmos a tecla “tab”, além de mostrar na linha de comando se a pasta atual está sendo rastreada pelo Git. Para isso é necessário adicionar as seguintes linhas ao arquivo de perfil do usuário para o prompt de comando, habitualmente encontrado na pasta home do usuário com o nome de .bash_profile. Adicione as seguintes linhas ao fim do arquivo:

if [ -f /usr/local/git/contrib/completion/git-completion.bash ]; then
	. /usr/local/git/contrib/completion/git-completion.bash
fi
GIT_PS1_SHOWDIRTYSTATE=true

PS1='\u@\h:\w $(__git_ps1 "(%s)")\$ '

Ao iniciar uma nova janela ou aba do Terminal, as alterações estarão aplicadas. Caso queira aplicar as alterações imediatamente no Terminal digite source ~/.bash_profile.

Linux

Você pode acompanhar o processo de instalação do Git no Linux no vídeo acima ou os passos a seguir.

Em qualquer sistema Linux, podemos utilizar o gerenciador de pacotes da respectiva distribuição para instalar o Git. No Ubuntu e no Debian, por exemplo, basta instalar o pacote git-core para ter o Git instalado. No Fedora, o pacote git. E no Gentoo, o pacote dev-util/git.

Portanto, por exemplo, para fazer a instalação do Git no Ubuntu, basta executar o comando:

sudo apt-get install openssl git-core

Siga as instruções do prompt de comando, primeiro confirmando a instalação dos pacotes e suas dependências, depois confirmando a instalação do pacote git-core, como demonstrado na imagem:

É possível testar se o Git foi corretamente instalado rodando o comando git no prompt de comando. A saída deve ser uma mensagem de ajuda, similar à demonstrada na imagem:

Ao instalar o Git, um script de ajuda que completa os comandos do Git no terminal é instalado, juntamente com um script que demonstra na linha de comando se estamos em um diretório que é um projeto rastreado pelo Git. Para ativá-los é necessário modificar o arquivo de perfil do prompt de comando, normalmente esse arquivo encontra-se na pasta “home” do usuário e chama-se “.bash_profile” (em alguns casos “.bashrc” ou “.zshrc”).

Caso nenhum dos arquivos citados exista, crie-o, caso exista, adicione as seguintes linhas ao final dele:

if [ -f /etc/bash_completion.d/git ]; then
	. /etc/bash_completion.d/git
fi
GIT_PS1_SHOWDIRTYSTATE=true

PS1='\u@\h:\w $(__git_ps1 "(%s)")\$ '

Salve o arquivo, a partir de agora, caso estivermos em uma pasta rastreada pelo Git no prompt de comando, seremos informados. Para ativar as alterações imediatamente, execute o comando source informando o arquivo de perfil que alteramos:

source ~/.bash_profile

Clonando um repositório

Para testar, faça agora um clone do repositório do vraptor:

git clone git@github.com:caelum/vraptor.git

Repare que, diferente de muitos outros sistemas de controle de versão, você possui agora todo o repositório do VRaptor, inclusive todo o histórico de modificações, possibilitando trabalhar de maneira offline e concorrente a outros desenvolvedores. Mais detalhes no novo curso de Git online.

12 Comentários

  1. Caio Ribeiro Pereira 17/01/2012 at 11:15 #

    Cursinho bacana hein!!

    Só para enriquecer mais o conteúdo desse post, segue alguns posts que também fiz sobre Git, espero que ajude quem estiver iniciando.

    http://www.udgwebdev.com/category/git/

    Parabéns pessoal pela iniciativa! 😀

  2. Antonio 17/01/2012 at 12:32 #

    Como eu faço pra upar meu código para um repositório git? Uso google code. Logo, como eu configuro o repositório para fazer submissão do meu código?

  3. Jean Fernandes 17/01/2012 at 13:35 #

    Gostei bastante da publicação, eu tinha uma certa resistencia ao GIT, mas vejo que vale a pena.

    Parabéns.

  4. Adriano Almeida 18/01/2012 at 00:29 #

    Oi Antonio, tudo bem?

    Uma vez que vc instalou o Git, você pode criar sua conta no github.com e criar seus repositórios lá gratuitamente.

    Tem outros lugares também que você pode hospedar seu código, como o bitbucket e assembla, por exemplo, mas o github é o mais famoso e conhecido.

    Quando você cria o seu repositório, lá no github, ele te mostra os passos para conseguir enviar seus arquivos pro servidor. Basicamente, será executar o git init, git remote add, fazer os commits locais e em seguida o push para o repositório remoto.

    Veja se consegue e qlqr problema, avise.

    []’s

  5. Adriano Almeida 18/01/2012 at 00:33 #

    Oi Jean, tudo bem?

    Isso mesmo, o Git no começo pode gerar uma certa resistência. Talvez pelo fato de que a forma mais comum de trabalhar com ele seja através da linha de comando. Há uns 3 anos atrás, quando comecei a trabalhar com o Git, senti a mesma resistência e dificuldade, que acho que é justamente o que justifica um curso para essa tecnologia, a curva de aprendizado para usar o Git corretamente pode ser bem grande.

    Uma vez que você o entende e o domina, fica muito interessante e prazeroso trabalhar. Hoje, sempre que possível, prefiro utilizar o Git como controle de versão.

    Sem contar, que se você gosta de projetos Open Source, o Git e o Github são muito legais, pois é facinho de você contribuir com eles.

    Um abraço!

  6. dobau 19/01/2012 at 09:34 #

    muito boa a dica do completion no mac!

  7. Gabriel 19/01/2012 at 15:49 #

    Oi Antonio, ao criar um novo projeto no Google Code, você pode escolher qual a ferramenta de controle de versão que você quer utilizar (não sei se é possível alterar um projeto já existente, caso esteja usando, dá uma pesquisada pelo git-svn).

    Criei um projeto vazio e ao entrar na aba “Source” é “revelado” o endereço do seu repositório. O meu é algo assim: “https://@code.google.com/p//”, é só adicioná-lo como repositório remoto com o comando “git remote add”.

    Pelo que percebi o Google Code vai pedir sua autenticação toda vez que você quiser interagir com o repositório remoto.

    Obrigado!

  8. Ducheno kelly 19/03/2012 at 07:38 #

    valeu pelo post!!! ajudou

  9. Ducheno kelly 19/03/2012 at 07:40 #

    fiz a instalação mas continuo com muitas dificuldades em usa-lo. tipo assim: quero perceber melhor o que é isso de branch, criação do projecto e criação do repositório, os comits e por ai. Alguem pode ajudar????

  10. Sérgio Lopes 20/03/2012 at 02:21 #

    @duchenokelly Recomendo o novo curso online de Git da Caelum que trata desses e de muitos outros assuntos:

    http://www.caelum.com.br/curso/online/git/

Deixe uma resposta