SOA sem tentar vender middleware?

Na última sexta-feira, estive junto com o Alexandre Magno em um evento organizado pelo pessoal da Stefanini, no Rio de Janeiro. O Alexandre falou um pouco sobre a sua especialidade, Scrum. Eu dei uma palestra sobre SOA e como sempre a expectativa do pessoal era ouvir mais uma palestra cheia de buzzword, que de alguma forma tenta empurrar algum produto de integração e que tenha ESB (Enterprise Service Bus) no nome.

O público era bem misto, com pessoal técnico e não técnico. Bastante gente veio conversar comigo no fim da palestra e demonstraram surpresa com relação a abordagem diferente sobre SOA. Um pouco na linha do fantástico Guerrilla SOA do Jim Webber, tentei falar sobre o assunto sem tentar vender nenhum produto gigante middleware-de-integração. Se você ainda não viu: veja agora, sério. A minha palestra fala um pouco sobre como SOA não precisa ser buzzword, SOA é integração:

Talvez a palestra não faça tanto sentido para quem não esteve presente, mas fiquem a vontade para dar uma olhada e comentar a respeito.

10 Comentários

  1. Anderson Carubelli 17/03/2009 at 04:48 #

    Fabio você tem intenção de realizar essa palestra aqui em São Paulo?

    []´s

  2. Luiz Costa 17/03/2009 at 08:40 #

    Fábio,

    Atualmente tenho verificado exatamente isso no projeto que estou trabalhando. O enorme foco em ferramentas. As discussões são sempre as mesmas, o ESB resolve isso, mas vamos utilizar BPM, poderíamos utilizar WS-Security. E frases como senão fizermos utilizano estes padrões, não faremos SOA de verdade.
    Acho que a maioria dos consultores ainda não entenderam de fato o que é SOA.

    Luiz Costa

  3. Alexandre Magno 17/03/2009 at 11:59 #

    Kung, parabéns! Suas palestras sobre SOA, Arquiteturas, etc. são as únicas sobre o assunto que não me fazem dormir 🙂

    []s

  4. Emerson Macedo 18/03/2009 at 01:00 #

    Fala Fábio,

    Apesar de slides não dizerem muita coisa, pude perceber que você deu uma bela pancada no pessoal que vende sua soluções mágicas SOA. Achei sensacional.

    Se me permite, gostaria de colocar um adendo: Numa abordagem orientada a serviços, uma Governança se faz necessário, seja a tal nova governança SOA que inventaram ou a tradicional de TI. Estou falando isso, pois pela minha experiência o que acontece em muitas empresas é a explosão de serviços e muitos deles duplicados, porque cada um pensa somente no seu problema.

    Agora se o termo governança for um pouco rude, podemos chamar de uma area qualquer que faz o meio de campo para que as coisas não se tornem uma bela bagunça.

    Aqui mesmo passamos por um problema desses recentemente. Precisavamos de um simples message wall para um projeto nosso e estavamos prontos a desenvolver. Por sorte, conversando com o peleteiro, descobrimos que já existia um projeto com API REST que fornecia o que precisavamos, mas acho que não podemos contar com a sorte. Talvez uma lista de projetos e serviços num wiki resolveria esse problema mas não resolveria problema de projetos/serviços que poderiam ser um pouco mais flexiveis para suportar outros usos.

    Concluindo: Acho que 90% de SOA é sim integração, mas temos uns 10% ai que entra uma gestão sobre esses assets produzidos/em produção.

    Que pena que não pude ver essa apresentação. de qualquer forma, parabéns !!!

    []s

    Emerson Macedo
    http://codificando.com

  5. André Faria Gomes 18/03/2009 at 12:33 #

    Parabéns Kung. Ficou muito bom!

  6. Ricardo 15/04/2009 at 15:47 #

    fala Fábio, blz? pra variar vc sendo polêmico e agradando hehehe
    É lamentável como infelizmente o mercado empurra o produto e tenta adaptar o conceito a sua ferramenta quando na verdade o contrário é que deveria acontecer.

    O pessoal de pré-vendas e o pessoal comercial apresentam a sopa de letrinhas com uma propriedade e com uma capacidade de transmitir segurança que realmente impressiona, mas é duro ver que expressões como “nosso SOA”, “nosso BPM”, quando estes conceitos estão longe de serem propriedade de alguém, ele são uma evolução, uma consequência do nosso trabalho do dia a dia ao longo de anos que levaram a identificaç

  7. Felipe Kenobi 22/05/2009 at 07:35 #

    Fala Fábio, bacana sua apresentação, entretanto há ainda outros pontos a serem cobertos. Muitos chamam SOA de Same Old Architecture e isso se deve ao paradigma Interface Driven Design. Não é uma nova descoberta e sim um acrônimo inventado pela indústria para mostrar a diferença naquele grau de entendimento sobre o problema.

    Com a entrada do XML e protocolos fazendo uso do mesmo, como estrutura de dados, a interoperabilidade que era prometida pelo CORBA ficou mais simples e tangível. Claro que as necessidades são as mais diferentes à cada cenário de negócio, a complexidades foram adicionadas a um protocolo que deveria ser simples SOA.

    Mas isso é papo para outra hora 🙂 Queria deixar explicitado que Interface Driven Design é um dos pontos da arquitetura SOA, mas ainda há Governança por exemplo.

    PS: ESB != CEP 🙂

  8. Felipe Kenobi 22/05/2009 at 07:36 #

    Oopps protocolo simples a qual me referia era SOAP e não SOA rss 😛

  9. Wagner Jr 14/07/2017 at 10:32 #

    Fábio, sei que sua palestre já tem um tempo, queria saber se vc possui uma versão mais atualizada da palestra, que possa disponibilizar para eu ver.

    Abraço

Deixe uma resposta